JESUS QUEM ELE É DE VERDADE?

 

Eu tenho uma alma interiorana. Esse nome aí quer dizer que gosto de lugares calmos, rodeados de vegetação e com aquele ar de pouco progresso. Pois bem, um dia desses fui convidado a pregar em um lugarzinho do tipo que descrevi e que cativa minha alma. Foi um culto simples com pessoas sentadas em lugares improvisados. Tronco de carnaúba, tijolos e até no chão. Mas tinham cadeiras também.

 

Antes do culto eu tirei meu carro da garagem para ir até lá, mas meu amadinho de vinte e três anos e muita luta deu o prego. Resultado? Um irmão nos levou em seu carro mais novo depois de dar duas viagens. Percebam que tudo aconteceu do jeitinho de pouco progresso.

 

Na volta o irmão para não dar duas viagens, pois a estrada estava ruim, sugeriu que caminhássemos e ele nos pegaria em algum lugar da estrada. Ele tinha ido deixar uma leva de pessoas em casa.

 

A caminhada foi para mim um presente de Deus. A lua estava cheia e bem clara e a mata ficou iluminada alimentando minha alma interiorana. Fiquei torcendo para que o irmão demorasse mais para que eu e alguns rapazes que iam comigo pudéssemos caminhar mais. Não precisa dizer que os rapazes não estavam gostando nada daquilo, mas eu estava amando. O vento frio da noite em meu rosto e os olhos atentos para enxergar a estrada, que embora iluminada tinha pontos escuros. A vegetação sobressaindo seu verde e o céu clarinho, clarinho. Que maravilha!

 

No culto preguei uma mensagem simples. Sem muitos rebuscados históricos, pois o homem da casa que havia se convertido era de bastante idade e tinha pouca leitura. Preguei toda aminha mensagem usando apenas o capítulo oito do evangelho de Mateus.

 

Como meu alvo maior era o senhor recém convertido falei do modo o mais simples possível combinando com o lugar. Até que num certo ponto da mensagem estava me achando meio bobo com tantos cuidados e repetições. Deus tem os seus propósitos, pois foi no dia seguinte que pude vê que eu não estava sendo bobo não com tantas repetições e cuidados. Conto essa história no final para que vejam a providência de Deus.

 

Introduzi minha mensagem assim: Quando Jesus esteve aqui em nosso (seu) mundo Ele sempre estava cercado de pessoas. Multidões o seguia. Todos dessa vasta galera carregava algum problema. Elas vinham até Jesus porque sabiam que Jesus poderia resolver seus problemas. E acrescentei: Todas as pessoas que vieram até Jesus pedindo algo foram atendidas por Ele. Passei então a dissertar sobre os fatos do capítulo oito do evangelho de Mateus para provar minha tese: todas as pessoas que vieram até Jesus foram atendidas por Ele. E relacionei meus fatos.

  1.   Um leproso pediu para ser curado por Jesus e Jesus o curou (Mateus 8.1-3).

A lepra era uma doença que desfigurava as pessoas na carne e na alma. A dor do leproso era grande pelo isolamento e pelo preconceito que se tinha da doença na época. Mas Jesus comovido pela súplica deste homem o curou tocando nele.

 

    2. Um chefe veio para pedir em favor de seu empregado e Jesus curou o empregado em respeito a fé do chefe e por amor do rapaz (Mateus 8.5-7,13).

Este homem era um “nobre”. Era uma autoridade. Ele tinha vários empregados além deste. Ele não veio a Jesus porque precisava dos serviços do rapaz, mas porque o amava. Este homem demonstrou uma grande fé. Alta demais até mesmo para os israelitas que tinham crescido ouvindo os relatos dos grandes sinais de Deus na história do povo de Israel e estavam vendo os milagres de Jesus em loco. De longe Jesus curou o rapaz.

      3. A sogra de Pedro doente foi apresentada a Jesus e Ele a curou (Mateus 8.14-15).

A sogra de Pedro estava sofrendo de uma terrível febre. Sabemos que a febre é um sintoma de alguma doença infecciosa. Naqueles tempos de pouco conhecimento na medicina podia-se até mesmo morrer de “febre”. Jesus atendeu ao pedido daqueles que falaram em favor da sogra de Pedro curando-a.

       4.   As multidões pediam por suas próprias doenças e dos outros (Mateus 8.16).

Essas pessoas eram informadas por outras e informavam a outras e a multidão dos necessitados ia crescendo e os resultados falando por si só até ao ponto de a multidão sempre crescer.

 

Portanto, disse, há muitos exemplos de Jesus atendendo ao pedido clemente das pessoas que se achegavam a Ele. Escolhi o evangelho de Mateus e seu capítulo oito apenas por uma questão de tempo, mas há uma infinidade de outros textos que poderiam provar minha tese. Também aludi para a experiência dos presentes dizendo que se eu pedisse a eles para que dessem seus depoimentos do que Jesus fez na vida deles estes serviriam para provar que: todas as pessoas que vieram até Jesus foram atendidas por Ele.

 

Disse para todas as pessoas ali que Jesus não é um Deus bonzinho apenas (Ele é plenamente BOM) ou rancoroso que nos pune pelo mal que fizemos não nos ouvindo. Ele é bom e está presente em nossa vida para nos socorrer.

 

Acrescentei que quando pedimos algo para Jesus Ele responde sempre dentro de seus próprios critérios. Ele pode responder imediatamente. Ele pode responder depois ou não responder do modo como queremos que Ele o faça. Mas o fato é que Jesus nunca, nunca desdenha de nossa dor ou da de alguém.

 

Meu alvo era fortalecer a fé do senhor recém convertido dando para ele a certeza da salvação. Para isso me dirigi a ele e perguntei:

__ senhor fulano, se Jesus atendeu as pessoas quando elas chegaram para Ele pedindo por seus problemas, o senhor crê que se o senhor pedir por sua própria saúde Jesus vai lhe dar um carro, uma casa ou sua saúde? Obvio: saúde.

__ Senhor fulano, se o senhor pedir a Jesus pela salvação de sua alma, Jesus vai lhe dar um quilo de carne, um roupa nova, uma mansão ou sua salvação eterna? Obvio: a minha salvação.

 

Fiz isso e mostrei-lhe a escritura de Romanos 10.9-13: A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação. Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido. Porquanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. Porque todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo.

 

Queria dar ao homem a certeza de que Jesus o salvou de seus pecados e da condenação eterna conforme ensina a Bíblia.

 

Fomos embora.

 

Agora retomo o que deixei suspenso logo acima.

Eu não estava sendo bobo perguntando várias vezes: quando pedimos alguma coisa para Jesus ele atende? Essas passagens bíblicas que citei mostra um Jesus BOM, INDIFERENTE, RANCOROSO, MAL?

 

Fui então visitar uma pessoa no dia seguinte. Ela estava enfrentando problemas com seu esposo que apesar de ter recebido Cristo como salvador não mostrava mudança de vida e era apegado a velhos hábitos.

 

Essa senhora havia desrespeitado todos os conselhos pastorais para que pensasse bem no que estava fazendo, uma vez que saiu da igreja e da comunhão com Deus para envolver-se com este homem. Agora estava amargando os resultados de um relacionamento com alguém que não tinha compromisso algum com a vida com Deus.

 

Tentei confortá-la dizendo que não importando o passado, se ela tivesse confessado seu pecado a Jesus, Ele a tinha perdoado e nunca cobraria seu comportamento passado sendo vingativo. Ela no primeiro momento consentiu. Logo em seguida disse: Deus está me fazendo sofrer mais da conta pelo que eu fiz.

 

Indaguei de novo Jesus é bom, vingativo, indiferente de acordo com o que disse usando evangelho de Mateus? Ela disse: Ele é bom mais está me fazendo sofrer demais. Ele está cobrando meus pecados.

 

Eu disse que ela deveria orar e procurar não brigar com seu esposo e confiar que Jesus iria ouvi-la. Ela disse se eu falando está assim, imagine se eu me calar e parar de brigar com ele.

 

Eu disse que iria visitá-lo e aconselhá-lo. Ela me disse que palavras não adiantava coisa alguma. Eu retruquei dizendo que Deus diz em Sua Palavra que “a fé vê pelo ouvir a Palavra de Deus”. Mesmo assim ela não concordou. E de novo perguntei: de acordo com o que disse no evangelho de Mateus Jesus é bom, mal, rancoroso, indiferente? Ela respondeu: eu não sei de mais é nada…

 

Eu fui visitá-los. Chegando lá nenhum dos dois quis saber de aconselhamento algum cada qual dizendo: __ nada que se diga ou faça é capaz de mudar esse homem. E ele disse o mesmo.

 

CONCLUSÃO: Há bem pouco tempo atrás esses dois estavam dizendo que Jesus era bom. Concordando com a minha pregação, mas na hora do aperto e porque não recebiam o que queriam na hora que queriam, na prática diziam que Jesus era mal, rancoroso e indiferente ao sofrimento deles.

 

Jesus é mesmo bom para você seja em que situação você esteja vivendo? Ele se compadece mesmo como a Bíblia diz que Ele o fez com as multidões de seu tempo e como tem feito com muitos em nossos dias ou Ele é um estraga prazeres de uns e benevolente com outros?

 

 

 

DECIDA: JESUS, QUEM ELE É DIANTE DE TUDO O QUE ELE FEZ E FAZ?

 

 

 

O pastor Luiz Flor é poeta amador postando suas poesias em seus blogs: pulpito.blog.terra.com.br e poesiadegraca.blogspot.com.

 

FAÇA UMA VISITA E SEJA ABENÇOADO.

 

SEUS COMENTÁRIOS SÃO SEMPRE BEM VINDOS!

 

 

 

Published in: on fevereiro 25, 2009 at 7:04 pm  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://luizflor.wordpress.com/2009/02/25/jesus-quem-ele-e-de-verdade/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: