AGOSTINHO

 

O protestantismo e o Catolicismo Romano tributam honra à contribuição de Agostinho à causa do Cristianismo. Polemista capaz, pregador de talento, administrador episcopal competente, teólogo notável, ele criou uma filosofia cristã da história que continua válida até hoje em sua essência… Para ele os homens devem olhar adiante para “A Cidade de Deus”, uma civilização espiritual, uma vez que a velha civilização clássica estava passando.

 

Sua grande obra apologética e, segundo alguns sua maior obra, sobre a qual reside sua alma, é o tratado De Civitate Dei, popularmente conhecida como A Cidade de Deus. Agostinho mesmo achava ser esta a sua grande obra. Espantados com o saque de Roma por Alarico em 410, os romanos creditaram esse desastre ao fato de terem abandonado a velha religião clássica romana e adotado o cristianismo. Agostinho pôs-se a responder esta acusação a pedido de seu amigo Marcelino. Os livros I a X constituem a parte apologética da obra. Ele procura demonstrar nos livros I a V que a prosperidade do Estado independe do velho culto politeístico porque os romanos sofreram catástrofes antes do advento do cristianismo; diz também que o sucesso que tiveram se deve à providência de Deus de quem têm sido ignorantes. Nos livros seguintes, Agostinho demonstra que o culto dos deuses romanos não é necessário para se conseguir a bênção eterna. Os deuses não ajudam seus devotos no terreno temporal nem no espiritual, ao passo que o cristianismo pode dar e tem dado bênçãos espirituais aqueles que o abraçam.

 

Agostinho trouxe alguns erros para dentro do pensamento cristão. Contribuiu para a formulação da doutrina do purgatório com todas as suas más conseqüências; enfatizou tanto o valor dos dois sacramentos que a doutrina da regeneração batismal e da graça sacramental se tornaram conseqüências lógicas de suas colocações; sua interpretação do milênio, como o período entre a Encarnação e a Segunda Vinda de Cristo em que a Igreja venceria o mundo, gerou o ensino romano sobre a Igreja Roma como a igreja universal destinada a agrupar todos dentro do seu aprisco, e a idéia do pós-milenismo.

 

 

 

Citação do Livro: O Cristianismo Através Dos Séculos – Uma História Da Igreja Cristã, capítulo 13.

 

VISITE OS BLOGS DE POESIA DO PASTOR LUIZ FLOR:

pulpito.blog.terra.com.br

poesiadegraca.blogspot.com

 

Os Poemas do Pastor Luiz Flor constam da coluna Palavra do Leitor na Revista Ultimato on line. Acesse e deixe sua partcipação. O link é www.ultimatoonline@ultimato.com.br

Published in: on março 12, 2009 at 10:14 pm  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://luizflor.wordpress.com/2009/03/12/agostinho/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: