Ato contra visita de Ahmadinejad reúne cerca de mil em SP

 

03 de maio de 2009 • 13h08 • atualizado às 13h45

03 de maio de 2009

Vagner Magalhães/Terra

 

Vagner Magalhães

Direto de São Paulo
O ato promovido pela Juventude Judaica Organizada contra a visita do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, reuniu cerca de mil pessoas na praça Marechal Cordeiro de Farias, popularmente conhecida como praça dos Arcos, na esquina da avenida Angélica com a avenida Paulista, região central de São Paulo.

No local, foi montado um palanque onde representantes do judaísmo, de homossexuais e grupos de defesa dos direitos humanos e da mulher discursaram contra a vida do presidente do Irã ao Brasil.

O presidente do Irã chega a Brasília na próxima quarta-feira, para um encontro com Luíz Inácio Lula da Silva. Ahmadinejad será acompanhado por uma comitiva de 200 pessoas – o maior grupo que acompanhou o presidente iraniano ao exterior, segundo a embaixada.

Em uma conferência das Nações Unidas (ONU) sobre o racismo, o presidente Ahmadinejad descreveu o governo de Israel como “racista” e o Holocausto como “pretexto” para proteger os judeus.

Um dos discursos mais inflamados foi o do secretário municipal de Esportes de São Paulo, Walter Feldman. Em sua fala – muito aplaudida -, ele afirmou que uma pessoa que questiona o holocausto não pode ser bem recebida no Brasil.

“O povo iraniano se vê sufocado. Esse povo precisa de apoio mundial. A visita do presidente do Irã ao Brasil é um equívoco nas relações internacionais do País”, afirmou Feldman. “É inaceitável um governo vindo de origem de perdas (em referêmcia ao presidente Lula) receber alguém que não respeita os direitos humanos, a liberade e a democracia. Somos a maioria. O mundo é a maioria.”

O presidente da Confederação Israelita do Brasil (Conib), Gilberto Ventura, afirmou que não entende o que faz o presidente Lula receber uma pessoa desrespeitada em todas as partes do mundo. “Ele é um falastrão. Uma pessoa que nega o holocausto”, disse. “O Lula não pode se sentar ao lado de um beligerante tirano.”

O rabino Henry Isaac Sobel, ex-presidente da Congregação Israelita Paulista (CIP), afirmou que “a vinda de Ahmadinejad é uma ofensa frontal à comunidade judaica”. “É uma pessoa que não merece nenhuma acolhida do Planalto”, completou.

“Não se pode admitir a presença dele aqui no Brasil. Uma pessoa que persegue os homossexuais em seu país não é digna de ser recebida pelo presidente do Brasil”, protestou o representante dos homossexuais judeus Ari Teperman.

Além do ato, a comunidade judaica levou várias faixas e cartazes com dizeres contra o presidente iraniano.

Redação Terra

 

Observação: o Pastor Luiz Flor concorda com o ponto de vista do autor da matéria e outras autoridades citadas aqui sobre o Presidente Lula não receber pessoa como o presidente Iraniano.

 

CONHEÇA OS BLOGS DO PASTOR LUIZ FLOR:

WWW.PULPITO.BLOG.TERRA.COM.BR

WWW.POESIADEGRACA.BLOGSPOT.COM

WWW.LUIZFLOR.WORDPRESS.COM

QUER FALAR COMIGO? USE MEUS E-MAILS:

Luiz-flor@hotmail.com e Luiz-pastorflor@hotmail.com

 

Published in: on maio 3, 2009 at 6:10 pm  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://luizflor.wordpress.com/2009/05/03/ato-contra-visita-de-ahmadinejad-reune-cerca-de-mil-em-sp/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: